domingo, 31 de maio de 2015

INJEÇÃO DE R$ 5 BILHÕES DO FGTS ATENUA FALTA DE CRÉDITO IMOBILIÁRIO.

dinheiro, real, moeda, inflação, crédito, juros, impostos (Foto: Thinkstock)
A decisão do conselho curador do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) de ampliar de R$ 800 milhões para R$ 5 bilhões os recursos destinados ao financiamento habitacional dentro do programa pró-cotista, com redução do teto do valor do imóvel financiado de R$ 750 mil para R$ 400 mil, foi bem recebida pelas entidades que representam construtoras e empresas do setor imobiliário porque atenua a escassez de recursos para financiamentos.

A linha de crédito pró-cotista é voltada a trabalhadores que tenham conta no FGTS há, no mínimo, três anos e oferece condições facilitadas: não prevê limite de renda e juros de 7,66% a 8,5% ao ano, mais Taxa Referencial (TR). Apesar das facilidades, essa linha representava muito pouco no total do crédito imobiliário. No ano passado, os financiamentos imobiliários com recursos da poupança somaram quase R$ 113 bilhões e os da linha pró-cotista, R$ 800 milhões.

Mas, diante da retração da poupança como financiadora da habitação, essa linha ajuda a atenuar a escassez de crédito. No primeiro quadrimestre deste ano, as cifras da caderneta de poupança destinadas à construção e à compra de imóveis recuaram 3,2% em comparação com o mesmo período de 2014, segundo dados da Abecip.
 

+ FGTS pode ser solução para destravar crédito 
"Essa decisão de injetar mais recursos nessa linha de crédito deve impulsionar as vendas de novos projetos que tinham sido paralisadas porque a poupança secou", diz Ronaldo Cury, vice-presidente de habitação popular do Sindicato da Indústria da Construção Civil de São Paulo (Sinduscon-SP).

Para Flávio Amary, presidente em exercício do Secovi-SP, a medida é positiva, embora não seja suficiente para solucionar a queda no volume de vendas e de lançamentos por causa da escassez de crédito imobiliário.

Cury conta que a proposta de injetar recursos na linha de crédito pró-cotista partiu das entidades do setor imobiliário e foi acatada pelo FGTS. Outro pleito do setor para ampliar recursos destinados a financiamentos é reduzir de 30% para 25% os depósitos compulsórios que os bancos têm de fazer nas contas de poupança. "A redução do compulsório da poupança liberaria entre R$ 40 bilhões e R$ 50 bilhões para crédito imobiliário", calcula Cury.

Valor
A redução do teto do valor do imóvel financiado de R$ 750 mil para R$ 400 mil na linha pró-cotista beneficia a venda dos mais populares. São moradias de dois e três dormitórios, dependendo da cidade onde estão localizadas. Depois do segmento de baixa renda, contemplado pelo programa Minha Casa Minha Vida, essa é a fatia de mercado onde há o maior déficit habitacional. "Para São Paulo, no entanto, esse efeito será mais limitado", diz Amary.

sábado, 30 de maio de 2015

Tarifas e impostos sobre o financiamento imobiliário. O que devo saber?

Quando optamos pelo financiamento imobiliário, buscamos facilidade e agilidade para obtenção de crédito e assim realizarmos da maneira mais prática a compra do imóvel, não é mesmo?

Tire suas dúvidas sobre as taxas do financiamento imobiliário
Até o momento da aprovação de crédito tudo vai bem, as contas estão “batendo”, esta tudo seguro para dar continuidade ao processo e então assinar o contrato deFINANCIAMENTO.
A partir de então, que entra a parte burocrática, que talvez poucas pessoas saibam e acabam ficando desprevenidas para essa etapa. Existem certos gastos além do valor de compra e venda que muitas vezes não são esperados por compradores inexperientes. Esses valores são cobrados pelo cartório e prefeitura, não existe nenhuma relação com o banco que esta sendo realizado o FINANCIAMENTO.

É recomendável que se destine 5% do valor do imóvel para gastos com tarifas e impostos. Quer saber quais são eles?

ITBI
Imposto sobre transmissão de Bens Imóveis é o valor cobrado pela transferência do imóvel do vendedor para o comprador, esse valor varia entre 2 a 3%, dependendo da localidade. O imposto é cobrado diretamente pela Prefeitura. Em alguns municípios é possível solicitar boleto através de sites da prefeitura local, entregando a guia de ITBI no cartório de notas onde será feito o registro do imóvel.
Registro / Escritura
Outra tarifa a ser cobrada quando se da entrada do contrato do FINANCIAMENTO é o registro do imóvel. O valor a ser pago no cartório pelo comprador, depende do valor do imóvel.  As tarifas podem ser consultadas através do site ou portal dos cartórios de registro de imóvel .
Você sabia?
Uma consideração importante que devemos ressaltar! Para a compra do primeiro imóvel é descontado 50% do valor dos custos do registro desconsiderando o ITBI.  Mas lembre-se de avisar o cartório que se trata de sua primeira compra!


segunda-feira, 25 de maio de 2015

Uma torre tão grande quanto uma cidade no coração do deserto do Saara


Para aqueles que pensam que o deserto do Saara é apenas um lugar isolado e quente onde não há nada mais do que areia, bem, erram feio. Foi recentemente aprovado um projeto que aprece de ficção científica. Bem no coração do deserto mais famoso do mundo, será erguida uma majestosa torre que terá a aparência de uma pedra para estar em linha com a natureza selvagem que rodeia e terá uma série de ambientes verdadeiramente extraordinários.
city_sand_tower-5Sand-Tower8Nesta torre absolutamente única no mundo seja por sua localização que pelo seu estilo, estarão um grande número de lojas, hotéis exclusivos e luxuosos, apartamentos, escritórios, um lugar onde as pessoas poderão morar, trabalhar e se divertir. Em poucas palavras, esta torre será uma espécie de cidade que terá até uma fazenda que permitirá ao edifício de ser auto-sustentável. É de se imaginar que tudo dentro dessa construção será incrivelmente chique e muito caro, mas não faltarão clientes visto que o panorama será único: uma vista de 360° sobre o Saara! Mas não é só. No último andar será colocado um observatório para admirar o céu estrelado que, no meio do deserto, é sem dúvida um dos mais belos espetáculos da natureza.
Sand-Tower11Sand-Tower12Com seus 720 mil metros quadrados de espaço, este edifício é um verdadeiro oásis que irá reservar muitas surpresas para os sortudos que puderem trabalhar e ficar neste lugar muito singular. Dentro parece uma exuberante selva, um ambiente que reflete a luz e frescura em um dos lugares mais inóspitos e quentes do planeta. Nunca nenhum prédio foi o testemunho mais eloqüente de como o homem pode moldar a natureza e adaptá-la às suas necessidades.
Sand-Tower13

domingo, 24 de maio de 2015

Dos dez apartamentos mais caros do Brasil, nove ficam numa mesma cidade, a maioria em um trecho de apenas quatro quilômetros. Conheça os valores e as metragens dessas preciosidades


                     ed_orla
O Rio de Janeiro é a capital dos apartamentos mais caros do Brasil. De acordo com um levantamento exclusivo feito pela empresa de informações imobiliárias 123i, nove entre os dez imóveis mais valiosos em território nacional estão em endereços cariocas. Sete deles ficam à beira-mar, no pequeno trecho de quatro quilômetros entre Leblon e Ipanema. Por ali, cada metro quadrado dos edifícios da orla chega a valer 45 000 reais (preço aproximado de um carro Nissan Livina zero quilômetro, por exemplo).
A ampla metragem total desses super apartamentos é outro ponto que chama a atenção, com média de 648 metros quadrados por unidade. O único paulistano a integrar a lista fica na Vila Nova Conceição, bairro próximo ao Parque do Ibirapuera. Confira abaixo quanto custam essas pérolas do Atlântico e outras preciosidades:

1º) Edifício Ana Carolina
30 825 000 reaisLeblon (RJ)
Cada unidade possui 685 metros quadrados, de frente para o mar do Leblon, com quatro dormitórios e cinco vagas de garagem (abaixo):
                      ed_anacarolina

2º) Edifício JK
27 000 000 reais
Ipanema (RJ)
Prédio de 52 anos de idade na Av. Vieira Souto, chama a atenção pela fachada envidraçada. Unidades de 600 metros quadrados abrigam quatro dormitórios e ainda oferecem quatro vagas na garagem (abaixo):
                            ed_JK

3º) Edifício Cap Ferrat
27 000 000 reais
Ipanema (RJ)
Também localizado na Avenida Vieira Souto, esse edifício tem seis dormitórios distribuídos em 600 metros quadrados (abaixo):
                              ed_capferrat

4º) Edifício Atlântico Sul
27 000 000 reais
Ipanema (RJ)
De frente para a praia de Ipanema, tem cinco dormitórios e cinco vagas. Cada apartamento conta com 600 metros quadrados (abaixo):
                           ed_atlantico

5º) L’Essence VNC
26 400 000 reaisVila Nova Conceição (SP)
Único paulistano entre os dez mais valiosos, tem cobertura de 1 379 metros quadrados avaliada em 40 800 000 reais e doze vagas de garagem. As unidades tipo contam com oito vagas, cinco dormitórios e 753 metros quadrados (abaixo):
                           ed_lessence

6º) Juan Les Pins
26 100 000 reais
Leblon (RJ)
Situado em uma prestigiada esquina da Av. Delfim Moreira, cada unidade conta com 580 metros quadrados, cinco dormitórios e cinco vagas de garagem (abaixo):
                           ed_lespins

7º) Edifício Priscilla
24 750 000 reais
Leblon (RJ)
No finalzinho do Leblon, perto do Morro Dois Irmãos, oferece apartamentos de 550 metros quadrados, com cinco dormitórios e cinco vagas de garagem (abaixo):
                             ed_priscilla

8º) Edifício Apolo 11
24 165 000 reais
Leblon (RJ)
Ao lado do Jardim de Alah, esse edifício tira proveito da falta de prédios vizinhos para obter uma vista ampla do oceano. Seus apartamentos têm 537 metros quadrados com cinco dormitórios e três vagas de garagem (abaixo):
                          ed_apolo11

9º) Edifício Zamúdio
24 000 000 reais
Flamengo (RJ)
É o maior entre os apartamentos mais caros do país. Suas unidades têm 800 metros quadrados e contam com sete dormitórios, maior número da lista. Ele e o décimo colocado (abaixo) são os únicos carioca localizados fora da orla Ipanema – Leblon (abaixo):
                             ed_zamudio  

10º) Edifício Franklin Sampaio
23 280 000 reais
São Conrado (RJ)
Outro que se beneficia de vazios laterais para oferecer uma vista ampla, é dono da segunda maior metragem da lista, com unidades de 776 metros quadrados. Há seis dormitórios e cinco vagas de garagem (abaixo):
                          ed_franklin
Por Mariana Barros
Na imobiliária Anderson Martins você encontra variedades confira
www.andersonmartins.com.br

sábado, 23 de maio de 2015

2 quartos a venda em Itaparica ed. Napoles

3 QUADRA DO MAR EM ITAPARICA ED. NAPOLES 2 e 3 QUARTOS COM SUÍTE SALA VARANDA COZINHA ÁREA DE SERVIÇO 1 OU 2 VAGAS DE GARAGEM LAZER COMPLETO CONFIRA:
Lazer Piscina adulto com praia Piscina infantil com cascata Deck/ solarium Sauna com acesso à piscina adulto Ducha e lavabo Jardins Fitness Duas áreas de churrasqueiras contendo três mesas, doze cadeiras e um freezer para cada churrasqueira Salão de festas/gourmet Cozinha do salão de festas/gourmet Play ground contendo um gira freso, uma gangorra freso e um mini play freso Uma Quadra Esportiva Todas as imagens, plantas e perspectivas são meramente ilustrativas, podendo sofrer alterações nas dimensões, formas, especificações, constituição, cores, textura, entre outros.
Financiamento bancário garantido.

Não há espaço para a mesa de jantar? Improvise!

                  Não há espaço para a mesa de jantar? Improvise! 





O que fazer quando você encontra uma infiltração na sua casa.



Não tem nada mais desagradável, além do mofo claro, do que o surgimento de infiltração em nosso lar. As infiltrações podem surgir em qualquer ambiente da casa, mas são mais comuns nas áreas que utilizam água, como banheiros, cozinhas e áreas de serviços.   O que poucas pessoas sabem é que existem dois tipos básicos de infiltração, de causa interna e externa. No primeiro caso, são aqueles causados em sua própria casa ou pela casa do vizinho, já o segundo caso (externa) são causados normalmente pela chuva. Ambos os casos, são desagradáveis quando surgem na casa, como quando descascam as paredes, estouram revestimentos, geram mofos e agridem as esquadrias externas.   Mas, como evitar as infiltrações?   Antes da instalação de revestimento nos ambientes, é aconselhável fazer a impermeabilização adequada, para assim não surgir as infiltrações. Há diversos tipos de impermeabilizações e cada um para um ambiente especifico, como a rígida e flexível, esta última é adequada para lajes. Já para jardins o ideal é o uso de mantas próprias.   As infiltrações podem aparecer também por conta do descuido da instalação de móveis e eletrodomésticos. O uso de furadeiras pode causar perfurações nos canos e assim ter o surgimento de infiltrações.   Como evitar estragos maiores?   Apartamentos: verifique se o vizinho de cima não está com vazamento em suas tubulações;   Casas: verifique se o telhado está danificado;   Infiltrações pontuais na parede: onde o revestimento está “oco”, verifique se as tubulações embutidas estão totalmente integras. Nesse caso, acione um bombeiro hidráulico;   Infiltrações de 1 metro: verifique a incidência de água na parte externa da parede. A pintura com uma tinta hidrofugante pode amenizar a infiltração, porém, assim não soluciona o problema. Uma solução definitiva seria uma intervenção com obras de impermeabilização.   Depois de analisar as infiltrações de sua casa e saber como evitar, se atente para não surgir mais em sua casa e coloque a mão na massa se necessário.   Até mais! 

quarta-feira, 20 de maio de 2015

2 QUARTOS EM CONSTRUÇÃO -RESIDENCIAL VERACRUZ





Prepare - se para as melhores ofertas de 2 quartos com preço de promoção.
Consulte um dos nossos consultores 
Tel 27 - 32190568





2 quartos em construção em Itaparica ed. Amazônia

2 quartos (1 suíte) aproximadamente 62m²
Até 2 vagas garagem
Porcelanato sala, quartos, circulação e varanda
Estrutura para ar condicionado split
Hidrômetro e gás individual
Sistema ecológico com captação de água da chuva para irrigação e limpeza de jardins e áreas comuns e lixeiras para coleta seletiva
Home office
Acessibilidade
04 elevadores econômicos com chamada inteligente
Sistema de interfonia
Garagem automatizada com portão eletrônico
Guarita para porteiro
Circuito interno de TV
Equipamentos para iluminação de emergência
Escada pressurizada à prova de fumaça
Pavimento Subsolo: vagas garagem
Pavimento Térreo: portaria social, guarita, home office e vagas de garagem
Pavimento Garagem: vagas garagem
Pavimento Pilotis: área de lazer completa e integrada
Pavimento Tipo: 20 andares com 8 unidades por andar
Área de lazer no pilotis com 1.700m², entregue equipada e decorada, Piscina adulto com raia de 25m, Piscina infantil, Solarium, Sauna com sala de repouso, 2 Churrasqueiras, Playground, Salão de festas 100m², Espaço gourmet 50m², Forno de pizza, Salão de jogos, Academia e Home Office.
Consulte - nos tel: 27- 3219-0568 acesse o nosso sitewww.andersonmartins.com

segunda-feira, 18 de maio de 2015

Setor hoteleiro planeja investir R$ 12,8 bi até 2020

Setor hoteleiro planeja investir R$ 12,8 bi até 2020.

O aumento de empreendimentos da categoria econômica e em cidades com até 300 mil habitantes está entre as tendências do setor.

                      

Cristiano Martins Especial para Economia
Estudo elaborado pelo Fórum de Operadores Hoteleiros do Brasil (Fohb) aponta que o setor planeja investir R$ 12,8 bilhões nos próximos seis anos. Com isso, serão 630 novos empreendimentos até 2020, um crescimento de 65%. Já o número de quartos disponíveis passará de 94 mil para 164 mil, uma alta de 75% no mesmo período.
Na avaliação do ministro do Turismo, Vinicius Lages, a pesquisa revela o impulso da hotelaria para a economia brasileira. “Movimenta-se a construção civil, geram-se empregos e requalifica-se a oferta turística nacional. Como destaque, temos investimentos robustos no Rio de Janeiro devido aos Jogos Olímpicos de 2016”, diz.
O levantamento mostra ainda que, em 2020, os hotéis serão responsáveis por 100 mil empregos diretos, ante os atuais 64 mil. Os dados também mostram a tendência de aumento de 10 pontos percentuais da participação da categoria de hotéis econômicos na distribuição do mercado, que deve alcançar 40% dos empreendimentos em 2020.
Outra tendência detectada pelo estudo é a de investimento em cidades menores. De acordo com os dados, atualmente, as cidades com mais de um milhão de habitantes concentram 59% dos hotéis.
Em Caldas Novas, a empresária Magda Mofatto já investiu cerca de R$ 1 bilhão no Grupo diRoma. A empresária é hoje a maior hoteleira da América Latina. Com mais de 40 anos de história, o grupo diRoma é referência em hotelaria na cidade de Caldas Novas, com empreendimentos para todos os públicos e gostos, oferece infraestrutura completa de lazer e turismo de negócios, com salas para eventos e centro de convenções com aparelhagem completa e espaço para 2 mil pessoas simultaneamente. Além disso, contam com o Acqua Park, o mais completo parque aquático de águas termais da cidade, com piscinas, toboáguas, kids park, quadras de areia, saunas e muito mais. Dentre os empreendimentos do grupo diRoma estão o Thermas diRoma, Império Romano, diRoma Exclusive, Villa diRoma, diRoma Resort, Hotel Roma, diRoma Fiori, L’acqua diRoma e o hotel em Rio Quente e diRoma Rio Quente. A previsão é que, em 2020, esse percentual cairá para 47%. Ao mesmo tempo, a concentração de empreendimentos em municípios com até 300 mil habitantes aumentará dos atuais 22% para 30%.

FAT Turismo
Dados do Serviço Nacional de Apoio à Pequena e Micro Empresa (Sebrae) demonstram que a Copa do Mundo rendeu mais de US$ 50 milhões em vendas para empresas de micro e pequeno porte de todo o País. Pensando no potencial dessas micro, pequenas e médias empresas, o MTE criou, por meio da Resolução n. 683/2011 do Conselho Deliberativo do Fundo de Amparo ao Trabalhador (Codefat), a linha de crédito especial FAT Turismo. O FAT Turismo financia empreendimentos que apoiam a Copa do Mundo e, no período de setembro de 2012 a março de 2013, já realizou 2.156 financiamentos.
O ano de 2014 foi bastante favorável para o setor de hotelaria e turismo no Brasil, nosso País nunca esteve em tanta evidência no mundo, o cenário mundial nunca esteve tão favorável. Enquanto grande parte dos países ricos e tradicionais do mundo estava passando por uma crise econômica e de desemprego, a economia Brasileira resistiu e isso refletiu diretamente no setor de hotelaria e turismo que mesmo no auge da crise, apresentou um crescimento de 15% no primeiro trimestre de 2014 comparando com o primeiro trimestre de 2013. Com as Olimpíadas do Rio 2016 se espera que nos próximos meses o turismo no Brasil viva uma espécie de boom.
Esses eventos que são transmitidos ao vivo para mais de 150 países e atingem audiência de bilhões de pessoas servirão como uma vitrine para mostrar nosso país ao mundo, o que vai ser muito favorável para o setor de hotelaria e turismo. O Ministério do Turismo em parceria com Fundação Getúlio Vargas, recentemente identificou os principais destinos turísticos do Brasil que correspondem por 90% de todo o turismo.
São 65 cidades ao todo distribuidas por todas as regiões do país.
Através deste estudo serão levantados os principais pontos fracos e pontos fortes dessas cidades para servir como referência de investimento para o setor de hotelaria e turismo.
Com a chegada das Olímpiadas nos últimos anos, as 17 cidades que vão participar deste evento tiveram ainda um estudo mais detalhado, especialmente o Rio de Janeiro.
Magda Mofatto em uma entrevista recente afirmou: “Será um momento em que nós iremos aparecer nas páginas de jornais do mundo inteiro. Se a gente fizer a coisa bem feita, nós ganharemos. Se a gente não tiver competência e fazer as coisas erradas, nós ficaremos marcados pelo fracasso. Nós não vamos fracassar. Nós não chegamos até agora para morrer na praia”. O Brasil está comprometido, estará preparado para receber todos que visitarem o nosso País.
A pesquisa “Meios de Hospedagem – Estrutura de Consumo e Impactos na Economia” revela que 90% das empresas de hospedagem são micros e pequenos estabelecimentos. O setor também é um grande consumidor de bens industriais. Pelo menos uma vez por ano, esses estabelecimentos trocam ao menos um de seus equipamentos – televisores, aparelhos elétricos e eletrônicos, roupas de cama e de banho –, movimentando as economias dos Estados e municípios.
Estima-se que os empreendimentos com menos de 19 empregados sejam responsáveis pela aquisição de mais da metade do estoque de 615 mil unidades de TVs. Os empreendimentos com mais de 100 funcionários detêm 46 mil desses equipamentos. Comparado a outros setores, o setor de hospedagem atua mais intensamente nos efeitos multiplicadores na região em que se localiza, com implicações positivas para o desenvolvimento regional.
As estimativas dos impactos setoriais dos gastos em alojamento sugerem que entre 50% (no caso do valor da produção) e 25% (no caso de emprego) dos efeitos totais repercutem nos demais setores da economia. A geração de riquezas está mais concentrada nas regiões Sudeste e, principalmente, Nordeste. Apesar de ser responsável pela absorção de 24,5% de todo o pessoal ocupado no País, o Nordeste absorve somente 20,6% do pessoal ocupado na cadeia produtiva do setor de hospedagem, o que sugere maior produtividade média da mão de obra ocupada na cadeia produtiva do setor.
O segmento é responsável por cerca de 300 mil postos de trabalho. O custo da geração de emprego na hotelaria é um dos mais baixos da economia brasileira, exigindo um valor de produção de R$ 16 mil. Se compararmos com outros setores como o da construção civil ou o têxtil, observa-se que o valor para gerar emprego requer quase o dobro (cerca de R$ 28 mil). O setor da siderurgia é outro exemplo, apresentando custo quatro vezes maior (R$ 68 mil).

imobiliarias em Vila Velha










quinta-feira, 14 de maio de 2015

Financiamento: como posso pagar menos?

0FLARES TwitteFacebookGoogl
LinkedIShare7Buffer0
Financiamento: como posso pagar menos?
Veja a seguinte cena: você vai financiar um imóvel, tem a entrada, tem a renda necessária mas quando se depara com as taxas de juros… Um susto! A modalidade financiamento bate recordes a cada ano e vamos mostrar alguns macetes que precisamos ficar atentos para não perder.
Desde o dia 19 de janeiro de 2015, as taxas aumentaram, dificultando um pouco mais a aquisição da “casa própria”. Com isso, a adoção de algumas medidas são indispensáveis para que as taxas mantenham-se semelhantes a antes de 2015 ou até menores. Mas a pergunta é: como faço isso? Como posso pagar menos?
São três as formas mais conhecidas:

1. Barganhar

Você não deve necessariamente financiar o imóvel no seu banco. Por que? É um erro não pesquisar outros bancos. Mesmo uma pequena redução de juros pode representar uma boa economia em médio e longo prazo. A dica é: barganhe sem medo, aliás, ninguém vai pagar suas prestações além de você!

2. Relacionamento com o banco

Quanto mais tempo de relacionamento com o banco, melhor para reduzir suas taxas de juros. O ideal é financiar pelo banco que você já é correntista. Uma conta corrente bem movimentada, constante fluxo de entradas e saídas etc, são fundamentais para que a instituição bancária diminua as taxas. Cá pra nós, a longo prazo, com as taxas em torno de 9%a.a, em 360 meses e no plano SAC, uma redução de 0,25% já é uma excelente redução!

3. Uso de produtos e serviços

O uso de produtos e serviços são essenciais para reduzir as taxas. Antes de finalizar o financiamento, é essencial optar pelo cheque especial, pelo débito em conta, talão de cheques ou até mesmo receber o seu salário pela instituição que está financiando. Mesmo que não use, é uma boa opção ter esses serviços, embora sejam pagos. Se comparar com o que você irá poupar a longo prazo terá uma boa surpresa.

Aplique essas dicas e economize!


domingo, 10 de maio de 2015

As metrópoles do mundo na corrida para ver quem vai ter o mais alto arranha-céu


Parece que uma nova moda nasceu entre os construtores do mundo: vence quem constrói o edifício mais alto. Pode parecer algo fútil, uma competição que não traz benefícios a ninguém, só um pouco de publicidade extra. Ainda assim, com um olhar mais atento, vemos que o discurso é muito mais articulado e complexo, e que não se trata só de ficar famoso no mundo imobiliário, mas de vender mais do que seus concorrentes e assim ganhar mais dinheiro.


Basta pensar em Manhattan, o bairro mais conhecido de Nova York, onde foram abertos quatro canteiros de obras para construir estes enormes arranha-céus, para ver o quanto esta ‘moda’ pegou. Nova York sempre foi o lar de arranha-céus, dos edifícios que superam os 100 metros de altura: o edifício mais alto na Big Apple, por exemplo, é atualmente um edifício recém-concluído que supera por algumas polegadas os 300 metros de altura e que é particularmente cobiçado por investidores que desejam investir em imóveis.


No entanto, sua supremacia não é destinada a durar muito tempo, pois existem muitos canteiros de obras prontos a construir edifícios gigantes. Dentro dos próximos dois anos, parece que serão concluídas as construções do número 432 da Park Avenue e do número 111West da 57º: os dois devem superar o One57. No entanto, o domínio destes dois edifícios irá acabar em breve porque em 2018 será entregue um arranha-céu no 225 West da 57º. Parece que chegará aos 540 metros de altura, quase o dobro do One57.


Analisando a situação imobiliária nas grandes cidades se percebe que construir edifícios altos, que tiram proveito do espaço vertical, se tornou quase obrigatório. No mercado dos imóveis de luxo em Hong Kong, Cingapura, Xangai, Londres e Nova York, na verdade, os terrenos se esgotaram e a única maneira de não parar o crescimento e o desenvolvimento é a construção de arranha-céus, que se tornaram troféus para ricos investidores orientais.